Pular para o conteúdo

sonetos

Manhã – XVII

NÃO TE AMO como se fosses rosa de sal, topázioou flecha de cravos que propagam o fogo:te amo como se amam certas coisas obscuras,secretamente, entre a sombra e a alma. Te amo como a planta… Continue a ler »Manhã – XVII

Compartilhar